luveredas











Precisamos constituir uma frente ampla de forças progressistas e inimigas da neocolonização do país para desentranhar a nova ordem,abscôndita no caos atual mas que quer nascer. Temos que fazer esse parto mesmo que doloroso. Caso contrario, continuaremos reféns e vítimas daqueles que sempre pensaram corporativamente só em si, de costas e, como agora, contra o povo.
O caos nunca é só caótico. É gerador de nova ordem. O universo se originou de um tremendo caos inicial (big bang). A evolução se fez e se faz para colocar ordem neste caos. Devemos imitar o universo e construir uma nova ordem que seja includente de todos, a partir dos últimos.

Leonardo Boff

Já há muitos anos, cientistas vindos das ciências da vida e do universo começarm a trabalhar com a categoria do caos. Inicialmente também Einstein participava-se da visão de que o universo era estático e regulado por leis determinísticas. Mas sempre escapavam alguns elementos que não se enquadravam neste esquema. Para hramonizar a teoria, Einstein criou o “princípio cosmológico” do qual mais tarde se arrependeria muito porque não explicava nada mas mantinha a teoria standard do universo linerar inalterada. Com o advento da nova cosmologia mudou completamente de ideia e começou a entender o mundo em processo inineterrupto de mutação e autocriação.

Tudo começou com a observação de fenômenos aleatórios como a formação das nuvens e particularmnete o que se veio chamar de efeito borboleta (pequenas modificações iniciais, como farfalhar das asas de uma borboleta no Brasil, podem provocar uma tempestade em Nova York) e a constatação da crescente complexidade que…

Ver o post original 406 mais palavras

Anúncios


{junho 11, 2018}   The Wakeful Mind and Happiness

SENTENTIAE ANTIQUAE

Cicero, De Finibus 5. 87

“For this reason we must examine whether or not it is possible for the study of the philosophers to bring us [happiness].”

Quare hoc videndum est, possitne nobis hoc ratio philosophorum dare.

Aristotle, Eudemian Ethics, 2.1 (1219a25)

“Let the work of the mind be the performance of life—and what this means is using life and being awake (for sleep is some kind of a rest and cessation of life). As a result, since the work of the mind and its virtue are identical, then the work of virtue is an earnest life.

This, then, is the complete good, which is itself happiness. For it is clear from what we have argued—as we said that happiness was the best thing; the goals and the greatest of the goods are in the mind, but aspects of the mind are either a state of being or an…

Ver o post original 250 mais palavras



Dicas valiosas para quem está no início da vida acadêmica, mas também para quem a vê de revés…

Demografia Unicamp

Por Giovana Gonçalves Pereira*

Uma das maiores dificuldades que nós pesquisadores em formação encontramos ao longo da nossa trajetória acadêmica e profissional é a escrita do projeto de pesquisa. O tremor começa ainda lá nas primeiras tentativas de redigir um projeto ou plano de trabalho de iniciação científica na graduação. Frequentamos as reuniões dos grupos de pesquisa, retomamos os clássicos das áreas de interesse, reorganizamos pensamentos, mas seguimos ora com inúmeros parágrafos desorganizados, ora com ideias soltas na folha de papel.

O movimento de organização da ebulição de pensamentos buscando a sistematização de um raciocínio minimamente coerente se inicia desde a escolha de um grande tema de pesquisa. Esse momento, inclusive, é um dos que mais causa calafrios e confusão em nossa cabeça.

Como começar a organizar tudo isso? Será que existe mesmo um passo a passo linear e não retrospectivo? (Caso alguém tenha descoberto peço que…

Ver o post original 706 mais palavras



Que lindeza, meu Deus…

Leonardo Boff

Faustino Teixeira  da PPCIR/UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora – MG) é um teólogo leigo formado na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Ajudou a fundar, com reconhecimento oficial, a Faculdade de Estudos das Religiões com acento no Islamismo. Sua especialidade é a mística, particularmente do sufismo (Rumi) e de outras vertentes. É especialista também no diálogo ecumênico entre as religiões (macro-ecumenismo). Por causa de seu saber é muito requisitado para conferências e cursos. Publicamos este texto singular que é um diálogo entre a música e a espiritualidade na produção musical do cantor Gilberto Gil. Estimo que esta abordagem poderá interessar a muita gente e animar a busca de uma espiritualidade aberta. Lboff

*******************

Trata-se de tarefa desafiante de tentar captar a experiência espiritual na trajetória criativa de Gilberto Gil. Foi o desafio que busquei responder nas breves notas que seguem, a partir de um convite de conferência realizado…

Ver o post original 3.619 mais palavras



et cetera