luveredas











blog da Revista Espaço Acadêmico

russojrCARLOS RUSSO JR.*

Na antiga civilização grega a religiosidade para ser compreendida necessita de que esqueçamos conceitos como “fé” e “crença” do modo como são entendidos nos nossos dias.

Era uma religião grega que não tinha um livro, uma bíblia, ou uma Igreja. O sacerdócio era o apanágio de algumas famílias antigas, que gradualmente se transformaram em magistraturas, as quais, como outras funções cívicas, possuíam delegados eleitos pelo voto em assembleias realizadas na Ágora.

Deste modo, jamais existiu a figura do corpo sacerdotal permanente, do profissional, do mesmo modo como não havia uma teologia, nem dogmas e muito menos credos.

Nesse sentido, o “crer” do grego é inseparável do conjunto das relações sociais e das práticas sociais. Ou seja, entre o sagrado e o profano não existia uma oposição radical ou um corte rígido.

Vernant¹ coloca a questão dessa crença dentro dos três elementos que constituem um sistema religioso:

Ver o post original 1.289 mais palavras



blog da Revista Espaço Acadêmico

bbking-300x168

Publicado originalmente em Página 13.
Com informações do site oficial de 
B.B. King

Inseparável de sua guitarra, carinhosamente batizada de Lucille, faleceu nesta quinta-feira (14) Riley B. King, o grande mestre do blues, conhecido como B.B. King.

Por mais de meio século, B.B King levou o blues ao público de todo o mundo. Desde que começou a gravar nos anos 1940, lançou mais de cinquenta álbuns, muitos deles clássicos.

Nascido em 16 de setembro de 1925, em uma fazenda de Itta Bena, Mississipi, em sua juventude Riley tocou nas ruas em troca de moedas, certas vezes em até quatro cidades em uma mesma noite.

Foi em 1947 que ele pegou carona em direção a Memphis, no Tenessee, para construir sua carreira musical. Naquela época, Memphis era o centro de gravidade que atraia os principais músicos do sul dos Estados Unidos e abarcava uma vasta e diversa comunidade musical. B.B…

Ver o post original 426 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Modelos com bengalas e marcas de nascença foram produzidos pela marca britânica Makies.

Depois que uma campanha por maior diversidade na indústria de brinquedos se tornou viral em redes sociais com a hashtag “#ToysLikeMe” (brinquedos como eu, em tradução livre), um fabricante de brinquedos britânico criou uma nova linha de bonecos com deficiência.

Além de modelos com bengalas e deficiência auditiva, a empresa Makies criou alternativas com marcas de nascença e cicatrizes. Personagens em cadeira de rodas também estão sendo desenvolvidos pela equipe de design e produção.

Usando a impressão 3D para projetar as bonecas e os acessórios, o fabricante espera que a nova linha seja um grande sucesso – dada a rapidez com que foi criada em resposta à campanha #ToyLikeMe que começou no Facebook.

Por £ 69 (cerca de R$ 320), as “Makies Dolls” são personalizadas para o dono, com a empresa planejando realizar customização com as características…

Ver o post original 101 mais palavras



blog da Revista Espaço Acadêmico

WALTER PRAXEDES*

O canadense Glenn Gould tornou-se conhecido como um dos maiores pianistas do século XX pela sua forma bem pessoal de interpretar as Variações Goldberg, compostas pelo músico alemão Johann Sebastian Bach em 1741. Experimente ver e ouvir um dos seus inúmeros vídeos e gravações disponíveis na Internet. É quase impossível não se sentir tocado desde os primeiros acordes.

Glenn Gould nasceu em 1932 e a escritora Alice Munro em 1931. O pai de Alice trabalhava como produtor de peles de raposas que eram comercializadas por sua mãe. O pai de Gould também era proprietário de uma empresa de trajes de peles. Ambos nasceram em Ontario, Canadá, ela em Winghan e ele em Toronto, em famílias econômica e socialmente modestas.

Mas existem outras importantes afinidades entre ambos, como a origem escocesa, branca, e a religiosidade protestante, puritana e calvinista presentes em sua educação, herdadas dos seus familiares e…

Ver o post original 1.384 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Companhia americana de tintas fez um mini documentário para registrar a reação das pessoas
Da Redação
RIO— O pôr do sol no Arpoador, na Zona Sul do Rio, é aplaudido todos os dias por cariocas e turistas que vão à pedra admirar o entardecer. Entretanto, um daltônico em visita ao local poderia não ter a mesma experiência pelo fato de não conseguir enxergar todas as cores. Pensando nas pessoas que são privadas diariamente de sensações como essa, por conta da deficiência na visão, uma empresa de tintas criou um óculos capaz de fazer com que daltônicos vejam todas as cores.
A empresa americana Valspar, uma das gigantes do setor de tintas, confeccionou o objeto em parceria com a EnChroma. O óculos desempenha a função de separar as cores e derivações do vermelho e do verde, que geralmente são percebidas como iguais pelos daltônicos, corrigindo a visão deficiente. Com o mecanismo…

Ver o post original 105 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai tornar o sistema do Processo
Judicial Eletrônico (PJe) mais acessível para pessoas com deficiência.
O primeiro passo ocorreu nesta quarta-feira (22/4), com a realização
de um workshop que reuniu 45 servidores da área de tecnologia da
informação. A partir desta semana, parte da equipe será destacada para
desenvolver requisitos de acessibilidade no PJe.

Gestor dos projetos de informática no CNJ, o juiz auxiliar da
Presidência Bráulio Gusmão abriu o workshop destacando que a
deficiência física é um conceito relativo. “A eliminação do obstáculo
elimina a deficiência. Como agentes de Estado, ao propor e implementar
políticas públicas, devemos estar atentos a isso”, disse.

Ele lembrou que a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com
Deficiência da Organização das Nações Unidas, de 2007, tem status de
Emenda Constitucional e deve ser observada com prioridade no Brasil.
Para o juiz, a melhor forma de superar a…

Ver o post original 460 mais palavras



et cetera