luveredas











{janeiro 26, 2015}   As religiões e o terrorismo

Leonardo Boff

Os principais conflitos do final do século XX e dos inícios do novo milênio possuem um transfundo religioso. Assim na Irlanda, em Kosovo, na Kachemira, no Afeganistão, no Iraque e no novo Estado Islâmico, extremamente violento. Ficou claro em Paris com o assassinato dos cartunistas e outras pessoas por fundamentalistas islâmicos. Como nisso entra a religião?

Não sem razão escreveu Samiuel P. Huntington em seu conhecido livro O choque de civilizações: ”No mundo moderno, a religião é uma força central, talvez a força central que motiva e mobiliza as pessoas….O que em última análise conta para as pessoas não é a ideologia política nem o interesse econômico; mas aquilo que com que as pessoas se identificam são as convicções religiosas, a família e os credos. É por estas coisas que elas combatem e até estão dispostas a dar a sua vida” (1997, p.79). Ele critica a política externa norte-americana…

Ver o post original 739 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

A Universidade Federal do Rio de Janeiro, através do Laboratório de Arte, Cultura, Acessibilidade e Saúde, do Curso de Terapia Ocupacional, e o Ministério

da Cultura, através da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural abrem o Edital 2015 do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural, cujo objetivo

é “sensibilizar, estimular, capacitar e criar processos inclusivos de fruições estética, artística e cultural nas ações, gestões e políticas culturais

para o público de pessoas com deficiência como produtores ou platéia”, segundo o portal do concurso.

Ainda segundo o portal, o curso pretende:

– Formar especialistas em acessibilidade cultural para atuar no campo das políticas culturais, orientando e implementando conteúdos, ferramentas e tecnologias

de acessibilidade que proporcionem fruição estética, artística e cultural para todas as condições humanas a partir do enfoque da deficiência.

– Oferecer capacitação em acessibilidade cultural a partir de uma grade de conteúdos que proporcione conhecimento desde a gestão em…

Ver o post original 405 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Aplicativos deverão informar bandeira, valor da corrida e quilometragem.

A Câmara dos Deputados analisa projeto que obriga os taxistas a ter equipamento de áudio que informem às pessoas com deficiência visual dados sobre a tarifa e os quilômetros rodados (PL 7888/14). A proposta inclui a exigência na Lei da Acessibilidade (10.098/00).

De acordo com o texto, os taxistas terão 12 meses, a contar da data de publicação da lei, para se adequarem à regra.

“Para sua autonomia, a pessoa com deficiência visual precisa ser assistida com ajudas técnicas específicas voltadas para compensar a limitação de não poder ver”, argumenta o autor da proposta, deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF). “Os aplicativos de áudio vão informar o tipo e valor da bandeirada, como também o valor final da corrida e a quilometragem percorrida ao passageiro com limitação visual.”

Tramitação
O projeto será arquivado pela Mesa Diretora no dia 31 de janeiro, por causa…

Ver o post original 43 mais palavras



Leonardo Boff

El reciente asesinato de los caricaturistas franceses de Charlie Hebdo y la última elección presidencial en Brasil han traído a la luz un dato latente en la cultura brasileña y en el mundo: la intolerancia. Me voy a restringir a aquella, pues ya he abordado la otra, la de Charlie Hebdo, en un artículo anterior. La intolerancia en Brasil es parte de aquello que Sérgio Buarque de Holanda califica de «cordial» en el sentido de odio y prejuicio, que vienen del corazón como la hospitalidad y la simpatía. En vez de cordial yo preferiría decir que el brasilero es pasional.

Lo que se pudo ver en la última campaña electoral fue lo «cordial-pasional», en forma de odio de clase (desprecio del pobre) como de discriminación racial (nordestino y negro). Ser pobre o negro y nordestino implicaba una tara y de ahí el deseo absurdo de algunos de dividir Brasil entre…

Ver o post original 887 mais palavras





Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Chega de bengalas.
Um sapato com GPS foi desenvolvido por dois jovens indianos para guiar pessoas com deficiência visual.
Eles já são um sucesso no país e devem ser inseridos no mercado internacional.
Já há pedidos de compra de 20 países até o momento, diz a empresa.
Um de seus inventores, Krispian Lawrence, assegurou à Agência Efe que desde seu lançamento foram recebidos cerca de três mil pedidos de compra, primeiro para a própria Índia e cada vez mais para o exterior.

Como funciona
Lechal, como são chamados, ou “leve-me contigo” em híndi, os calçados funcionam com palmilhas com conexão Bluetooth. Elas recebem ordens de um telefone celular no qual é estabelecido o percurso através do Google Maps.

Cada sapato vibra, para direita ou para esquerda, para indicar as curvas necessárias no trajeto marcado.

Os calçados ajudam pessoas com dificuldades de visão a seguir uma rota, e tem outras tecnologias…

Ver o post original 334 mais palavras





Leonardo Boff

        Uma coisa é se indignar, com toda razão, contra o ato terrorisa que dizimou os melhores chargistas franceses. Trata-se de ato abominável e criminoso, impossível de ser apoiado por quem quer que seja.

Outra coisa é procurar analiticamente entender porque tais eventos terroristas acontecem. Eles não caem do céu azul. Atrás deles há um céiu escuro, feito de histórias trágicas, matanças massivas, humilhações e discriminações, quando não, de verdadeiras guerras preventivas que sacrificaram vidas de milhares e milhares de pessoas.

Nisso os USA e em geral o Ocidente são os primeiros. Na França vivem cerca de cinco milhões de muçulmanos, a maioria nas periferias em condições precárias. São altamente discriminados a ponto de surgir uma verdadeira islamofobia.

Logo após o atentado aos escritórios do Charlie Hebdo, uma mesquita foi atacada com tiros, um restaurante muçulmano foi incendiado e uma casa de oração islâmica foi atingida também por tiros.

Que…

Ver o post original 616 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Os estudantes Mateus Michelon Poppi e Leonardo Perin Alves, ambos de 17 anos, criaram um dispositivo que permite que cadeirantes transportem e instalem a própria
rampa para ter acesso a calçadas sem guias rebaixadas e vários outros tipos de degraus. O “aplicativo” foi desenvolvido na Escola Técnica (Etec) Coronel Fernando
Febeliano da Costa, em Piracicaba (SP), e rendeu aos jovens um prêmio de gestão e engenharia destinado a estudantes.

“Nosso objetivo era construir algo que fosse útil e relevante, além de inovador. Acreditamos que o dispositivo pode dar mais independência aos cadeirantes, porque
nem todos os locais são adaptados para eles”, afirmou Poppi. A invenção foi batizada de One Step (“um passo” na tradução para o português) e demorou pouco mais de
5 meses para ser desenvolvida.

Os dois jovens concluíram o ensino médio este ano e pensam em estudar engenharia elétrica ou mecânica. Eles desenvolveram o produto fora do…

Ver o post original 280 mais palavras



Portal Nacional de Tecnologia Assistiva

Por meio de avisos sonoros, protótipo desenvolvido por pesquisadores brasileiros tem como objetivo dar mais autonomia à portadores de deficiência visual.

(imagem publicada – a foto da matéria com parte de um rosto humano com óculos escuros)
Para auxiliar a realização das atividades diárias de pessoas com deficiência visual, pesquisadores do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Software Livre (NAP-SoL), sediado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveram um protótipo de sistema que permite ao usuário fazer a identificação de obstáculo e ambiente por intermédio do som. O programa computacional denominado GuideMe funciona em um dispositivo pequeno, ajustável à roupa e utiliza processamento de imagem e localização através do eco para reconhecer o ambiente. O protótipo desenvolvido alcançou o primeiro lugar no II Concurso Intel de Sistemas Embarcados realizado durante o IV Simpósio Brasileiro de Engenharia de Sistemas Computacionais (SBESC), que aconteceu…

Ver o post original 719 mais palavras



et cetera