luveredas











Demografia Unicamp

Nada de grandes centros: entre 2003 e 2013, as cidades médias cresceram a um ritmo mais acelerado que qualquer metrópole no país

Por Beatriz Souza

População brasileira: pessoas atravessam rua em faixa de pedestres

Crescimento acelerado

São Paulo – Entre 2013 e 2003, a cidade de São Paulo ganhou 1,1 milhão de habitantes. O Rio de Janeiro, quase meio milhão. São números consideráveis, mas dado o tamanho de cada uma delas, não chega a impressionar: a população cresceu 10% na primeira e 7% na segunda.

As cidades da lista a seguir, no entanto, chegaram a crescer 190% no mesmo período. A primeira colocada, Rio das Ostras (RJ), quase triplicou no período, o que a elevou de categoria: deixou de ser uma cidade pequena para ser média.

De forma simplificada, especialistas consideram cidades médias aquelas com qualquer coisa entre 100 e 500 mil pessoas. Abaixo disso, são pequenas; acima, grandes.

Boa parte das 25 cidades a seguir – todas médias…

Ver o post original 157 mais palavras

Anúncios


Leonardo Boff

La carezza costituisce una delle espressioni supreme della tenerezza. Ne abbiamo parlato nell’articolo precedente.

Perché diciamo carezza essenziale? Perché vogliamo distinguerla dalla carezza come puro moto psicologico, in funzione di un volersi bene fugace e senza storia. La carezza-emozione non abbraccia tutta la persona. La carezza è essenziale quando si trasforma in una attitudine, in un modo-di-essere che qualifica la persona nella sua totalità, nella psiche, nel pensiero, nella volontà, nella interiorità, nelle relazioni.

L’organo della carezza è, fondamentalmente, la mano: la mano che tocca, la mano che consola, la mano che stabilisce relazioni, la mano che culla, la mano che porta serenità. Ma la mano è più che una mano. E’ l’intera persona che attraverso la mano e nella mano rivela un modo-di-essere affettuoso. La carezza tocca l’essere umano nel profondo, là dove è situato il Centro della persona. Affinché la carezza sia veramente essenziale dobbiamo coltivare l’io profondo…

Ver o post original 590 mais palavras



{fevereiro 21, 2014}   Para onde aponta a crise do clima

Leonardo Boff

Co
–>

         Conheço poucos jornalistas que com tanto afinco, inteligência, boa informação e senso de equilíbrio nos entrega textos de grande relevância sobre questões ecológicas e afins como Washington Novaes. Cada sexta-feira publica no Estado de São Paulo um artigo que vale ler e guardar. Todos no Brasil estamos sofrendo sob o calor intenso, falta de chuvas e de águas nos reservatórios. Por outro lado, enchentes devastadoras, localizadas, em várias regiões do país. Como entender estes eventos extremos? Que sinais são estes que a Terra nos está dando? Para onde nos conduzirá o aumento da temperatura que não para de subir? Estas interrogações nos são colocadas para nossa preocupação e como desafio para fazermos alguma coisa a fim de mitigarmos e adaptarmo-nos aos efeitos perigosos das mudanças climáticas. Publicamos neste blog este artigo do amigo Washinton Novaes pois nos orienta sobre a real situação da Terra e de nosso…

Ver o post original 986 mais palavras



Demografia Unicamp

Durante a participação no BIARI (Brown International Advanced Research Institutes), que aconteceu em 2013 na Universidade Brown, que fica em Providence-Rhode Island, nos Estados Unidos, um grupo de estudantes ganhou o seed grant (financiamento inicial) para a realização de um projeto que começou a ser desenhado enquanto estavam lá. Ana Carolina Soares Bertho, uma de nossas colegas da pós-graduação em Demografia da Unicamp, faz parte desse grupo.

O projeto se chama “Young voices from the global south: stories of vulnerability and resilience”. Cada membro do grupo pesquisou sobre um aspecto específico relacionado à juventude (juventude e arte de rua na Argentina; juventude e acidentes de trânsito no Brasil; juventude e emprego na Colômbia; juventude e conflito armado na Colômbia; fecundidade adolescente e educação na Costa Rica; juventude e violência carcerária em Honduras; juventude, ócio e entretenimento na Nigéria e juventude e famílias transnacionais nas Filipinas)…

Ver o post original 87 mais palavras



{fevereiro 16, 2014}   Para uma definição do terrorismo

Leonardo Boff

   As manifestações massivas de junho/julho de 2013, em grande parte pacíficas e as outras havidas neste ano de 2014 que mostraram a atuação violenta dos black blocs que, mascarados, quebram agências de bancos, vitrines de lojas e depredam edifícios públicos, atacam violentamente policiais, culminando com a morte do cinegrafista Santiago Andrade, suscitaram o tema do terrorismo.

       É importante que se entenda que o terrorismo não é um fenômeno da guerra, mas da política. O terrorismo irrompe no seio de grupos insatisfeitos com os rumos da política do país ou da economia e que já não acreditam nas instituições, nem no diálogo e muito menos em mudanças sociais significativas. Pode até ocorrer que se opõem de tal maneira ao sistema mundial e nacional vigente, o capitalismo neoliberal, que investem contra seus símbolos, danificando-os. Ilusoriamente pensam que destruindo-os atingem o coração do sistema. Esse não se muda pela violência puntual…

Ver o post original 867 mais palavras



Leonardo Boff

              Há muitas causas que levaram à atual crise ecológica. Mas temos que chegar à última: a ruptura permanente da re-ligação básica que o  ser humano introdiziu, alimentou e perpetuou com o conjunto do universo e com seu Criador.    

         Tocamos aqui numa dimensão profundamente misteriosa e trágica da história humana e universal. A tradição judeo-cristã chama a essa frustração fundamental de pecado do mundo e a teologia no seguimento de Santo Agostinho que inventou esta expressão, de pecado original ou queda original. O original aqui não não tem nada a ver com as origens históricas deste anti-fenômeno, portanto, ao ontem. Mas ao que é originário no ser humano, ao que afeta seu fundamento e sentido radical de ser, portanto, ao agora de sua condição humana.     

         Pecado também não pode ser reduzido a uma mera dimensão moral ou a um ato falho do ser humano…

Ver o post original 854 mais palavras



{fevereiro 10, 2014}   TEMPO DE DEBATE 2014

Demografia Unicamp

Logo_Tempo de Debate-7_final

Neste ano de 2014 retomaremos os encontros da série “Tempo de Debate”.

Os encontros serão realizados no período 12:30 h – 14:00 h no Auditório do NEPO. Programe-se para as próximas apresentações:

12 FEVEREIRO (quarta-feira):
Dinâmica migratória da macro metrópole paulista.
Prof. Dr. José Marcos Pinto da Cunha (DH – IFCH/NEPO Unicamp).

12 MARÇO (quarta-feira):
Analyzing the Sandwich Generation: an application of SOCSIM for the Brazilian Context.
Prof. Dr. Everton Lima (IFCH/NEPO/Unicamp)

Em razão do horário de realização do Tempo de Debate, consideramos oportuno que os participantes tragam seu próprio lanche para o encontro.

Ver o post original



Demografia Unicamp

Você já parou para pensar nas condições que determinam a aceitação ou não de quem migra para o Brasil, seja em caráter temporário ou permanente? Pois é esse o objetivo da exposição “Ser Imigrante”, que chega hoje à estação República do metrô de São Paulo.

ser-imigrante-7
Exposição Ser Imigrante vai até o próximo dia 30 de março Crédito: Museu da Imigração

A mostra é pautada na questão das políticas migratórias do Brasil e o quanto isso reflete na imagem do imigrante, ontem e hoje, com base em depoimentos diversos, registros históricos e materiais extraídos da imprensa. Uma das instalações convida o visitante a entrar em uma espécie de prisma no qual ele se vê diante de todos os termos -positivos ou pejorativos – em geral associados ao imigrante.

Além disso, o visitante é convidado a pegar um passaporte e participar de um jogo que o ajuda a entender o passo a…

Ver o post original 678 mais palavras



et cetera