luveredas











{fevereiro 20, 2018}   Como ler a Poética

via Para ler a Poética de Aristóteles – Rafael Huguenin.

Anúncios


{fevereiro 18, 2018}   Onde?

Onde pousa teu coração
Aí reside teu amor
e também tua dor

Onde pisa teu passo firme
Aí insistes criar
e transformar o mundo

Onde pulsa tua verdade
Aí deves ficar
onde quer que estejas ou vás.

[Lucy-Chan, 18.02.2018. Teresina-PI]



{fevereiro 18, 2018}   O sorriso do abismo

Ela atravessou o abismo

sem conhecer seu mistério

Temendo encará-lo

desviou o olhar

do abismo que lhe sorriu…

Sob o peso de passos incertos, mas apressados

Caiu em si, não onde queria…

[Lucy-Chan, Fortaleza, 14.02.2018]



SENTENTIAE ANTIQUAE

Homer, Odyssey 8.186-200

“So he spoke, and stripping off his cloak he grabbed a discus,
Larger and wider, not a little heavier than the ones
Which the Phaeacians where throwing among one another.
He turned around and whirled it from his strong hand
And the stone boomed. Then the oar-wielding Phaeacians
Leapt to the ground, those men famous for their ships,
At the hurl of the stone. Then it flew past all of their markers,
Swiftly hurling it from his hand. Then Athena set the boundary
After taking on the form of a man, and she spoke a word and called out:

“Even a blind person, friend, could find this marker
As he felt all around, since it is not at all mixed in with the others—
No, it is first by far. Be happy at this competition–
None of the Phaeacians will come close or surpass it.”

So much-enduring…

Ver o post original 174 mais palavras



{janeiro 29, 2018}   Metapoética de Homero

via Surpassing the Signs of All Others



{janeiro 29, 2018}   Um sopro de vida

Você foi um sopro de vida

nos meus olhos tristes

um sopro que aqueceu meu coração

Agora faz-se longe

onde exatamente

não sei…

Lucy-Chan

16.11.2017



Gostaria que minha tese também tivesse essa dimensão social…

Demografia Unicamp

Estudo embasou denúncias feitas pelos Observatórios das Migrações ao Ministério Público do Trabalho

Imigrantes haitianos que vieram para o Brasil entre 2010 e 2014 e, recrutados por setores da agroindústria ou da construção civil, foram trabalhar no Estado de Santa Catarina, tiveram a mão de obra superexplorada por seus empregadores, ou seja, sofreram a violação do valor da força de trabalho. Conforme detalhou a tese de doutorado defendida pelo pesquisador Luis Felipe Aires Magalhães, no Núcleo de Estudos de População Elza Berquó (Nepo), as empresas utilizavam vários mecanismos para tirar o máximo dos trabalhadores.

LFAM
O pesquisador Luis Felipe Aires Magalhães, autor da tese: “O Estatuto enxerga o estrangeiro como uma ameaça”

A primeira estratégia era descontar dos salários a concessão do alojamento, seguida da chamada alocação discriminatória, que significava colocar o haitiano em setores…

Ver o post original 1.195 mais palavras



Nós humanos, possuimos os mesmos constituintes físico-químicos com os quais se constrói o código genético de todo o vivente. Dai se deriva um parentesco objetivo entre todos os seres vivos como o tem enfatizado o Papa Francisco em sua encíclica sobre a ecologia integral. Por isso cuidar e defender a natureza é cuidar e defender a nós mesmos, pois somos parte dela. Em razão desta compreensão o bem comum não pode ser apenas humano, mas de toda a comunidade terrenal e biótica com quem compartimos a vida e o destino.
Cooperação se reforça com mais cooperação, pois aqui reside a seiva secreta que alimenta e revigora permanentemente o bem-comum, atacado pelas forças que ocuparam o Estado e seus aparelhos no interesse de poucos contra o bem comum de todos os demais.
Leonardo Boff é articulista do JB on line e escreveu: De onde vem? o Universo, a Terra, a vida, o espírito, Mar de Ideias, Rio.

Leonardo Boff

Um dos efeitos mais perversos do golpe parlamentar, destituindo com razões juridicamente questionáveis pelos juristas mais conceituados de nosso país e também do exterior, foi impor um projeto econômico-social de ajustes e de modificações legais que significam um assalto ao já combalido bem comum. O golpe foi promovido pelas oligarquias endinheiradas e anti-nacionais que usaram um parlamento de fazer vergonha por sua ausência de ética e de sentido nacional, que por ele pretendem drenar para seu proveito a maior fatia da riqueza nacional. Isso foi denunciado por nomes notáveis como Luiz Alberto Moniz Bandeira, Jessé Souza, Bresser Pereira, entre outros.

Está em curso um desmonte da nação. Isto significa a implantação de um neoliberalismo ultraconservador e predatório que praticamente anula as conquistas sociais em favor de milhões de pobres e miseráveis, tirando-lhes direitos com referencia ao salário, ao regime de trabalho e das aposentadorias além de reduzir e até liquidar…

Ver o post original 701 mais palavras



Note from BW of Brazil: Well, in reality, I would have to disagree with the title chosen for today’s post. Cultural practices and exhibits may be ways of responding to racism or refusing to allow racism undermine its power, but I don’t see how it actually silences racism. The emergence of what can be called […]

via Culture silences racism: Black artists are gaining visibility and occupying spaces in institutions that previously ignored them — Black Women of Brazil



As classes sociais existem, as lutas sociais prosseguem, porém suas características não são mais iguais às dos tempos de Marx e Engels ou de Lenin e Trotsky, ao tempo da Revolução Russa. E o fato é que, atualmente, as grandes corporações, à procura de fatores mais baratos de produção, de condições de investimentos mais seguras, estáveis e lucrativas, transferiram suas plantas industriais para os países da periferia do sistema capitalista e daí exportam o que fabricam, as manufaturas, para os mercados das próprias potências econômicas, das quais haviam emigrado. A produção industrial da Europa e dos Estados Unidos se processa, em grande medida, offshore, em países como a Índia e outros da Ásia, onde a força de trabalho é muito mais barata.

Assim o setor terciário superou a indústria na Europa, nos Estados Unidos e até no Brasil, onde gera mais empregos e concentra investimentos que nos setores primário (campo, extrativismo etc.) e secundário (manufatureiro).

E o que se chama de esquerda tem de estudar e compreender. Quanto à desordem, que ocorre no Brasil, só posso dizer que resultou de um lawfare, uma guerra jurídica, urdida por interesses alienígenas e fortes setores do empresariado nacional, explorando o descontentamento das classes média, ao fazer aflorar a podridão do Estado profundo, a fim de atender a interesses corporativos e do capital financeiro internacional.

Leonardo Boff

Há poucos analistas-pensadores que nos podem orientar dentro do caos nacional e internacional no qual estamos todos mergulhados. Um dos mais notáveis analistas brasileiros, de reconhecimento internacional, é Luiz Alberto Moniz Bandeira que ainda neste ano de 2016 publicou um livro notável pela abundância das informações A desordem mundial. Reproduzimos aqui uma entrevista dele recentemente dada à revista Opera a Pedro Marin 23 de novembro. É esclarecedora e orientadora.  Lboff

*******************************

Nascido em Salvador, Luiz Alberto Moniz Bandeira mudou-se para o Rio de Janeiro ainda jovem, publicando, aos dezenove anos, seu primeiro livro. Integrante do Partido Socialista Brasileiro, onde foi um dos fundadores da corrente Política Operária (Polop), foi perseguido durante o regime militar, tendo se exilado no Uruguai no ano de 1964.

Em 1965, volta ao Brasil e passa a viver clandestinamente em São Paulo. Foi preso político por dois anos, de novembro de 1969 a outubro de 1970…

Ver o post original 1.690 mais palavras



et cetera